home
Assuntos Diversos

O futuro da carne vermelha

  Colunista: Cláudio Melo
  Publicada em 20/01/2019



O futuro da carne vermelha Foto: Internet
 
Para produzir 100 gramas de proteínas de um bife pode ser necessário mais de 120 m² de terra em um ano.
 
Se não diminuirmos nosso consumo de carne vermelha, não será possível alimentar a população mundial de 2050, estimada em 10 bilhões. E esta não é a única condição. Ainda é preciso diminuir o desperdício e tornar as terras agrícolas mais eficientes.
 
Também a escassez não será a única consequência, já que a produção de gado de corte lança Gases de Efeito Estufa em excesso e utiliza hectares de terra em demasia. Uma pesquisa lançada pelo Instituto Mundial de Recursos (WRI) no último mês detalha o panorama e seus pesquisadores mostram como é possível reverter o quadro. 
 
De acordo com a vice-presidente do WRI, Janet Ranganathan precisaria aumentar em 56% a produção de alimentos mundial. “Se não fecharmos essa conta, os pobres são os que mais sofrerão. Porque o preço da comida vai inflacionar muito”, previu. 
 
O problema é complexo principalmente porque essa expansão precisa acontecer sem aumentar a quantidade de terras reservadas à produção de comida. “Não podemos trocar as savanas e florestas que restaram por terras agrícolas. Perderíamos a pouca biodiversidade que há hoje e emitiríamos mais gás carbônico”. 
 
Fonte: Folha de PE
 
 
Oferecimento